21.4 C
São Paulo
quarta-feira, junho 19, 2024

Mercado de Opções: Como Funciona e 5 Estratégias para Operar

Date:

O mercado financeiro é um universo vasto e cheio de oportunidades para investidores. Dentro desse cenário, o mercado de opções se destaca como uma alternativa interessante para quem busca diversificar sua carteira e potencialmente obter ganhos expressivos.

Neste artigo, vamos explorar o funcionamento do mercado de opções e apresentar cinco estratégias que podem ser adotadas por investidores que desejam operar nesse segmento.

O Que São Opções?

As opções são contratos financeiros que conferem ao seu detentor o direito (mas não a obrigação) de comprar ou vender um ativo subjacente a um preço previamente estabelecido em uma data futura.

O ativo subjacente pode ser uma ação, um índice, uma moeda, entre outros. Existem dois tipos principais de opções: as opções de compra (call) e as opções de venda (put).

Elas servem para dois grandes objetivos básicos: especulação ou hedge. Ou seja, você pode utilizar esse mercado para aproveitar-se de oscilações de preços e ir em busca de ganhos mais altos em um menor espaço de tempo.

Ou também utilizá-lo para proteção de sua carteira de investimentos, aproveitando-se da baixa do mercado para lucrar com a queda de determinados ativos.

Como Funciona o Mercado de Opções:

No mercado de opções, os investidores podem comprar e vender esses contratos, negociando os direitos de compra ou venda dos ativos subjacentes. Os preços das opções são influenciados por diversos fatores, como o preço do ativo subjacente, o tempo até a expiração do contrato, a volatilidade do mercado e as taxas de juros.

Compra de Opções de Compra (Call): 

Comprar uma call (adquirir uma opção de compra) significa que você está adquirindo o direito de comprar um determinado ativo por um preço pré-estabelecido, em uma data futura.

Usando o nosso exemplo, imagine que você deseja comprar um imóvel em uma zona da cidade onde será construído um novo shopping. Por isso, você acredita que a procura por moradia também deve aumentar, e, assim, os imóveis do bairro devem valorizar nos próximos meses.

Você não tem capital imediato para a compra, mas, pensando em lucrar com esse momento, você procura alguém que esteja querendo vender uma casa ou apartamento, com o qual negocia um “sinal”. Ou seja, paga uma pequena quantia hoje, sinalizando que comprará o imóvel dali alguns meses, pelo preço atual.

Como você acredita que o preço deve subir, é vantagem pagar o preço atual. Do outro lado, o vendedor acredita que o shopping vai afastar a vizinhança, que gosta da tranquilidade da área. Dessa forma, ele entende que o imóvel irá desvalorizar. Por isso, fica feliz em fazer esse acordo com você.

MERCADO DE OPÇÕES: COMO FUNCIONA E 5 ESTRATÉGIAS PARA OPERAR!Foto: Canva.com

Com funciona no mercado de opções

A mesma lógica se aplica para o mercado de opções: se você faz essa operação, é porque você acredita que o preço de um ativo financeiro irá subir significativamente até determinada data.

Então, você paga um pequeno valor (o “sinal”, que aqui chamamos de “prêmio”) para garantir o direito de comprar esse ativo por um preço abaixo do que ele de fato estará.

Para isso, do outro lado, haverá o vendedor de uma call, que é quem receberá esse “prêmio” para assumir o compromisso de vender o ativo no valor e data futura acordados. Ele acredita que o ativo irá cair.

Caso você esteja certo e o ativo suba, você poderá exercer esse direito na data de vencimento e adquirir o ativo mais barato. Mas, no meio do caminho, caso o ativo suba bastante, o valor da opção irá acompanhar e subir também.

Então, você pode vender a própria opção por um valor maior do que a comprou e também lucrar com isso. Esse tipo de transação costuma ser mais especulativa.

É como se você resolvesse vender o seu “sinal” de compra do imóvel para outro comprador interessado, por um preço maior do que pagou. Assim, você embolsa o lucro da diferença e não precisa se preocupar em conseguir o dinheiro do imóvel.

Exemplo de operação com call

  • As ações de PETR4 estão custando R$ 10 em agosto e você acredita que elas irão valorizar acima de R$ 12;
  • então, você adquire 100 opções de compra (calls) de PETRJ120, por R$ 2 cada, desembolsando, para isso, R$ 200 (prêmio);
  • elas lhe garantem o direito de comprar PETR4 a R$ 12 em outubro.

Caso 1: chegou na data de vencimento e PETR4 está custando R$ 16.

Logo, você tem o direito de comprar 100 PETR4 por R$ 12, uma diferença de R$ 4 (x 100 = R$ 400).
Tirando os R$ 200 que você gastou com as opções (prêmio), é um lucro de R$ 200, ou seja: 100% de retorno.

Assim, você pode ficar com as ações ou vendê-las imediatamente, embolsando o lucro.

Mas, se, nesse meio tempo, as próprias opções PETRJ120 subiram de R$ 2 para R$ 4 cada uma, por exemplo, você também teria a alternativa de, antecipadamente, vendê-las e lucrar com a diferença.

Caso 2: chegou na data de vencimento e PETR4 está custando R$ 8.

Logo, não faz sentido utilizar seu direito, pois você poderia comprar as ações diretamente no mercado por R$ 8. Então, você simplesmente não irá exercer esse direito. Porém, os R$ 200 reais que você gastou comprando as ações serão perdidos. O que significa que você perdeu todo o seu valor investido.

Nesse meio tempo, com a queda das ações de PETR4, é provável que a cotação de PETRJ120 tenha caído na mesma proporção. Assim, se você optou por não vender (para tentar diminuir o prejuízo) e preferiu esperar até o vencimento para ver o que poderia acontecer, vai acontecer o que o mercado chama de: “as opções virarem pó”.

Ou seja: elas vencem e simplesmente deixam de existir, e o dinheiro do investidor fica pelo caminho.

MERCADO DE OPÇÕES: COMO FUNCIONA E 5 ESTRATÉGIAS PARA OPERAR!Foto: Canva.com

Compra de Opções de Venda (Put):

Comprar uma call (adquirir uma opção de compra) significa que você está adquirindo o direito de comprar um determinado ativo por um preço pré-estabelecido, em uma data futura.

Usando o nosso exemplo, imagine que você deseja comprar um imóvel em uma zona da cidade onde será construído um novo shopping. Por isso, você acredita que a procura por moradia também deve aumentar, e, assim, os imóveis do bairro devem valorizar nos próximos meses.

Você não tem capital imediato para a compra, mas, pensando em lucrar com esse momento, você procura alguém que esteja querendo vender uma casa ou apartamento, com o qual negocia um “sinal”. Ou seja, paga uma pequena quantia hoje, sinalizando que comprará o imóvel dali alguns meses, pelo preço atual.

Como você acredita que o preço deve subir, é vantagem pagar o preço atual. Do outro lado, o vendedor acredita que o shopping vai afastar a vizinhança, que gosta da tranquilidade da área. Dessa forma, ele entende que o imóvel irá desvalorizar. Por isso, fica feliz em fazer esse acordo com você.

Com funciona no mercado de opções

A mesma lógica se aplica para o mercado de opções: se você faz essa operação, é porque você acredita que o preço de um ativo financeiro irá subir significativamente até determinada data.

Então, você paga um pequeno valor (o “sinal”, que aqui chamamos de “prêmio”) para garantir o direito de comprar esse ativo por um preço abaixo do que ele de fato estará.

Para isso, do outro lado, haverá o vendedor de uma call, que é quem receberá esse “prêmio” para assumir o compromisso de vender o ativo no valor e data futura acordados. Ele acredita que o ativo irá cair.

Caso você esteja certo e o ativo suba, você poderá exercer esse direito na data de vencimento e adquirir o ativo mais barato. Mas, no meio do caminho, caso o ativo suba bastante, o valor da opção irá acompanhar e subir também.

Então, você pode vender a própria opção por um valor maior do que a comprou e também lucrar com isso. Esse tipo de transação costuma ser mais especulativa.

É como se você resolvesse vender o seu “sinal” de compra do imóvel para outro comprador interessado, por um preço maior do que pagou. Assim, você embolsa o lucro da diferença e não precisa se preocupar em conseguir o dinheiro do imóvel.

Exemplo de operação com call

  • As ações de PETR4 estão custando R$ 10 em agosto e você acredita que elas irão valorizar acima de R$ 12;
  • então, você adquire 100 opções de compra (calls) de PETRJ120, por R$ 2 cada, desembolsando, para isso, R$ 200 (prêmio);
  • elas lhe garantem o direito de comprar PETR4 a R$ 12 em outubro.

Caso 1: chegou na data de vencimento e PETR4 está custando R$ 16.

Logo, você tem o direito de comprar 100 PETR4 por R$ 12, uma diferença de R$ 4 (x 100 = R$ 400).
Tirando os R$ 200 que você gastou com as opções (prêmio), é um lucro de R$ 200, ou seja: 100% de retorno.

Assim, você pode ficar com as ações ou vendê-las imediatamente, embolsando o lucro.

Mas, se, nesse meio tempo, as próprias opções PETRJ120 subiram de R$ 2 para R$ 4 cada uma, por exemplo, você também teria a alternativa de, antecipadamente, vendê-las e lucrar com a diferença.

Caso 2: chegou na data de vencimento e PETR4 está custando R$ 8.

Logo, não faz sentido utilizar seu direito, pois você poderia comprar as ações diretamente no mercado por R$ 8. Então, você simplesmente não irá exercer esse direito. Porém, os R$ 200 reais que você gastou comprando as ações serão perdidos. O que significa que você perdeu todo o seu valor investido.

Nesse meio tempo, com a queda das ações de PETR4, é provável que a cotação de PETRJ120 tenha caído na mesma proporção. Assim, se você optou por não vender (para tentar diminuir o prejuízo) e preferiu esperar até o vencimento para ver o que poderia acontecer, vai acontecer o que o mercado chama de: “as opções virarem pó”.

Ou seja: elas vencem e simplesmente deixam de existir, e o dinheiro do investidor fica pelo caminho.

5 Estratégias para Operar no Mercado de Opções:

A operação tradicional de opções também pode ser chamada de “compra a seco“, onde o ganho é ilimitado, mas também há o risco da perda de 100% do capital investido. Por isso, foram desenvolvidas algumas estratégias.

Para quem conhece o mercado de ações, pode encontrar similaridades com as Long & Short. No caso dessas táticas com opções, o objetivo principal é limitar os ganhos, mas também minimizar possíveis perdas.

1. Trava de alta

Aqui, o investidor acredita na alta do ativo-objeto. Essa estratégia consiste em:

  • comprar de uma call dentro do dinheiro; e
  • vender de uma call fora do dinheiro.

Ambas opções precisam ter a mesma data de vencimento. Isso permitirá ao investidor ganhar com a alta da ação sem comprá-la efetivamente.

2. Trava de baixa

Aqui, ao contrário da anterior, o investidor acredita na queda do ativo-objeto. E ela segue a lógica inversa da trava de alta. Na trava de baixa, o investidor deve:

  • vender uma call dentro do dinheiro ou até mesmo fora do dinheiro; e
  • comprar uma call com preço de exercício maior e com a mesma data de vencimento.

3. Straddle e strangle

straddle é uma estratégia onde o investidor compra duas opções (call e put) com o mesmo strike e vencimento. O objetivo é lucrar com a diferença do preço da ação no vencimento com o strike da opção. Logo, por se tratar de uma estratégia em duas pontas opostas, não importa se o preço estará acima ou abaixo do strike.

Já no strangle há a compra de duas opções (call e put), com igual vencimento, mas com strikes diferentes. Por isso, as operações com strangle podem ser do tipo long (compra simultânea das duas opções) ou do tipo short (venda simultânea dessas duas opções).

4. Borboleta

A borboleta é uma estratégia utilizada pelo investidor que acredita que o preço do ativo-objeto não irá variar muito até o vencimento. Então, ele compra:

  • uma call fora do dinheiro;
  • outra opção dentro do dinheiro; e
  • uma terceira no dinheiro.

Na prática, é como se houvesse uma combinação de uma trava de alta e uma trava de baixa ao mesmo tempo.

5. Dividendos sintéticos

O dividendo sintético nada mais é do que um investidor lançar calls no mercado (lançamento coberto), de olho no prêmio que irá receber. É chamado assim, pois esse dinheiro não vem proveniente dos lucros de nenhuma ação ou fundo imobiliário em específico.

Porém, como a intenção é apenas receber o prêmio, também pode ser feito com lançamento de puts, em um strike onde o investidor aceitaria comprar a ação, caso fosse exercido.

Onde encontrar e como investir em opções?

Para operar opções, você precisa ver o código referente ao vencimento e strike que gostaria de comprar ou vender. Além disso, é importante avaliar a liquidez de cada série, que nem sempre é satisfatória.

Para fazer a compra ou venda, basta ter uma conta em uma corretora e acessar o seu home broker em uma área que, geralmente, é destinada a essa modalidade. No campo de busca, digite o código da opção de interesse.

Em algumas corretoras, você deve primeiro digitar o código do ativo-objeto e ela ainda lhe mostrará as opções disponíveis lastreadas naquele papel.

Conclusão

O mercado de opções oferece uma gama de estratégias para investidores que desejam aproveitar as oscilações do mercado e buscar ganhos. No entanto, é importante lembrar que operar com opções envolve riscos e requer conhecimento sólido sobre o mercado financeiro.

Antes de iniciar suas operações, estude as estratégias, analise as condições de mercado e considere buscar a orientação de um profissional financeiro. Com o devido cuidado, o mercado de opções pode se tornar uma valiosa ferramenta para diversificação e potencialização de lucros em sua jornada de investimentos.

 Espero que este artigo tenha ajudado você!

Então deslize a tela para baixo e confira mais dicas como esta e não se esqueça de compartilhar com os amigos!

Quer mais dicas sobre o mundo das Finanças e Decoração, então confira alguns dos nossos artigos em:

 

Últimos artigos