27.8 C
São Paulo
domingo, junho 16, 2024

FREELANCER: O que é, Como Começar e Onde Conseguir Trabalhos!

Date:

Se você está buscando uma maneira flexível de ganhar dinheiro, expandir suas habilidades e controlar sua própria carreira, tornar-se um freelancer pode ser a resposta. Neste guia abrangente, exploraremos o mundo do trabalho freelancer, desde o que é até como começar e onde encontrar oportunidades valiosas.

Freelancer, autônomo e profissional liberal é a mesma coisa?

Não. Não é. E sobre vários aspectos, desde as obrigações para atuar profissionalmente, até as opções para abertura de pessoa jurídica.

O profissional liberal precisa, necessariamente, ter uma formação técnica ou acadêmica, bem como inscrições em conselhos de classe para atuarem. Quer exemplos? Médicos, advogados e contadores.

Já os autônomos e freelancers não precisam, obrigatoriamente, terem qualificações acadêmicas, embora pela competitividade do mercado faça com que a maioria deles busque melhorar seus currículos, ou, como alguns preferem, portfólio.

Representantes comerciais podem ser autônomos, por exemplo. Alguns deles, inclusive, fazem contratos de serviços com exclusividade para algumas empresas ou marcas. Podem ser MEI ou optarem pela contribuição individual do INSS, dependendo do que for mais interessante para cada um.

O que é um Freelancer?

Um freelancer é um profissional autônomo que oferece seus serviços para diferentes clientes, em projetos específicos, em vez de trabalhar em um emprego de período integral com um único empregador. Esses profissionais independentes têm a liberdade de definir seus próprios horários, escolher os projetos que desejam assumir e negociar suas taxas.

Como Começar sua Carreira como Freelancer

Identifique suas Habilidades:

Comece avaliando suas habilidades, paixões e experiência. Quais serviços você pode oferecer? Isso poderia ser redação, design gráfico, programação, marketing digital, tradução, consultoria, entre outros.

Crie um Portfólio:

Construa um portfólio que exiba seus melhores trabalhos e projetos anteriores. Isso ajudará a mostrar aos potenciais clientes a qualidade do seu trabalho.

Estabeleça sua Presença Online:

Crie perfis profissionais em plataformas como LinkedIn e outras redes sociais relevantes para o seu setor. Um site pessoal também pode ser uma excelente ferramenta para exibir seu portfólio e compartilhar informações sobre você.

Defina suas Taxas:

Pesquise as taxas médias para os serviços que você oferece em sua região e ajuste-as com base em sua experiência. Lembre-se de que, como iniciante, você pode precisar ser flexível no início para atrair clientes.

Plataformas de Freelancer:

Considere ingressar em plataformas de freelancers, como Upwork, Freelancer e Workana. Essas plataformas conectam freelancers a potenciais clientes e podem ser uma ótima maneira de iniciar sua carreira.

Networking:

Conecte-se com outros profissionais da sua área, participe de grupos relevantes e eventos da indústria. O networking pode abrir portas para projetos interessantes e colaborações futuras.

FREELANCER: O QUE É, COMO COMEÇAR E ONDE CONSEGUIR TRABALHOS. Foto. Canva.com

Onde Encontrar Trabalhos como Freelancer

Plataformas Online:

Além das já mencionadas, existem várias outras plataformas online dedicadas a conectar freelancers e clientes, como 99Freelas e Malt.

Redes Sociais:

Utilize suas redes sociais para informar às pessoas sobre seus serviços. Grupos no Facebook e hashtags no Instagram também podem ser ótimos para encontrar oportunidades.

Sites e Blogs de Nicho:

Explore sites e blogs relacionados ao seu setor. Muitas vezes, os proprietários desses sites procuram freelancers para contribuir com conteúdo.

Contatos Pessoais:

Não subestime o poder do boca a boca. Informe amigos, familiares e conhecidos sobre sua nova carreira freelancer, pois eles podem conhecer alguém que precise de seus serviços.

Por que o contrato freelancer é interessante para as empresas?

As empresas estão oferecendo mais oportunidades por contrato de freelancer porque podem assim:

  • atender demandas específicas e pontuais do seu negócio (por exemplo, fotografar seus profissionais e o ambiente de trabalho para atualizar seu site);
  • para diminuir seus custos com folha de pagamento, já que muitas vezes as demandas de trabalho são sazonais e um funcionário geraria encargos trabalhistas;
  • ter um especialista de alta qualidade técnica para executar um projeto temporário que, na situação de contrato CLT, não teria condições de pagar um salário competitivo.

Freelancer precisa ser MEI?

Para alguns sites de freelancer, essa já é uma exigência. A regularização junto a Receita Federal é algo importante, pois traz oportunidades de trabalhar para grandes empresas e aumentar os rendimentos.

Além disso, garante alguns benefícios para o profissional também, como contribuição para a aposentadoria, licença maternidade, dentre outros.

Podemos dizer que o Microempreendedor Individual (MEI) foi a maneira encontrada pela legislação brasileira para regularizar a quantidade crescente de freelancers e garantir que seus negócios individuais não fossem barrados ou morressem por conta da carga tributária pesada e complexa do país.

FREELANCER: O QUE É, COMO COMEÇAR E ONDE CONSEGUIR TRABALHOS. Foto. Canva.com

Como definir quanto cobrar pelo trabalho freelancer?

Plataformas e sites para freelancers tem valores fixos. Mas, quando a negociação é direta com o cliente, o profissional deve considerar seus custos, diferenciais oferecidos, tempo de dedicação e também o que o mercado está cobrando por serviços parecidos.

Não que esse seja o preço que você deve cobrar, mas te dará uma base para não ficar muito abaixo ou acima dos preços praticados.

Outra maneira é fechar pacotes de horas ou dicas de dedicação. Você faz um cálculo do dia que vai começar e terminar, quanto tempo vai gastar, então multiplica por um valor/hora.

Desse modo, ao analisar esses fatores, é possível encontrar um preço razoável para satisfazer o cliente e garantir seu lucro.

Dicas de gestão para trabalhar como freelancer

Essas dicas se aplicam para todo mundo que deseja trabalhar como freelancer, seja qual for a área e o segmento de atuação.

Procure demandas fixas e recorrentes

O inimigo número um dos freelancers é a instabilidade financeira. Para aplacá-la, é possível criar uma demanda mensal em seus clientes, fazendo planos para que eles o contratem mensalmente.

Assim, além de aumentar seu volume de trabalho, terá uma certa regularidade de renda. E os planos mensais podem ser mais vantajosos para os contratantes também.

Para isso, ofereça preços mais baixos para os serviços contratados na forma de pacote, em relação aos pontuais.

Caso sua área tenha demandas mais espaçadas, mantenha um relacionamento frequente com o contratante e marque na agenda para contatá-lo no período em que o serviço deve ou pode ser realizado novamente.

Defina se atuará como freelancer em tempo integral ou apenas para fazer uma renda extra

Se você tem um emprego e está pensando em deixá-lo para tornar-se freelancer full-time, a melhor sugestão é para criar um período de transição e fortalecimento financeiro. O checklist básico para esse momento é:

  • aumente sua experiência na área que pretende atuar;
  • crie uma boa base de clientes que gere demanda recorrente e garanta uma receita mínima mensal;
  • faça seu portfólio;
  • reúna uma reserva financeira para se manter por pelo menos 3 meses.

O ideal é começar pegando projetos paralelos ao seu emprego e após um tempo, quando for visível a vantagem de trocar o emprego pela autonomia da vida de freelancer, tomar a decisão de continuar apenas como freelancer.

Todavia, é muito comum que profissionais alternem sua carreira em uma empresa com os projetos de freelancer nas horas vagas e finais de semana.

Como a maioria das oportunidades freelancers permitem que você trabalhe online sem sair de casa e, principalmente, você pode aceitar o volume de demandas que sabe que consegue atender, é perfeitamente possível conciliar as duas atuações.

Saiba elaborar uma proposta de trabalho

Sua proposta deve conter:

  • Seu nome;
  • Seu contato;
  • Para quem escreveu a proposta;
  • Data de validade da proposta (uns 2 dias úteis é o suficiente);
  • Uma breve apresentação das qualificações para o trabalho;
  • Data de entrega de cada uma das etapas do projeto;
  • Valores e condições de pagamento.

A proposta deve ser concisa, pois a maioria dos clientes não dispõe de muito tempo e passam rapidamente para a parte dos valores.

Trabalhe sua marca pessoal e profissional

Como freelancer e MEI, você tem um mercado competitivo para vencer. Dessa forma, alguns problemas externos surgem e podem afetar seus ganhos. Quer um exemplo? Outros profissionais podem cobrar preços muito mais baratos só para conquistar o cliente, “ganhar no volume de contratos”, deixando de lado a qualidade final.

Já ouviu a expressão “o barato sai caro”? Muitos clientes acabam se arrependendo de contratar o freelancer mais barato por receberem trabalhos muito ruins. Mas, até que os contratantes vivenciem essa frustração, você perdeu o negócio lá no início, certo?

Para isso não acontecer, fortaleça sua marca como profissional. Zele pela qualidade, compartilhe conhecimento nas redes sociais mostrando que você acompanha as tendências do mercado e, claro, esteja sempre aprendendo e inovando.

Assim, quando fizer sua proposta e seu preço estiver maior do que os concorrentes, sua marca e qualidade justificarão a diferença!

Como se adaptar ao trabalho freelancer?

Você pode ser contratado para trabalhar dentro da própria empresa que te contratou, pode fazer home office (ou anywhere office, que é o mesmo que trabalhar de onde você quiser!) ou coworking.

Mas, como encaixar a rotina do freelancer na sua realidade? Se você conversar com pessoas que já trabalham nesse modelo, algumas boas práticas vão prevalecer.

Defina um bom local de trabalho

O freelancer pode trabalhar de qualquer lugar? Provavelmente. Mas é importante que, sempre que ele for iniciar sua jornada diária de atividades, tenha um espaço que permita sua concentração e foco.

O home office, por exemplo, é a opção mais óbvia. Mas, como é dentro do ambiente doméstico, precisa ter uma certa privacidade e isolamento. Do contrário, sua produtividade pode ficar comprometida. Outra opção, portanto, é ter um escritório externo.

Mas, caso não queira dispor de dinheiro para alugar uma sala em locais de coworking, que geralmente oferecem toda uma estrutura profissional, pode procurar locais como cafés e bibliotecas públicas ou, até mesmo, shoppings para realizar seus trabalhos.

Contanto que seja um local claro, bem ventilado, que garanta uma boa ergonomia e no qual seu rendimento seja satisfatório.

Tenha foco na organização

Ser organizado é crucial para se dar bem nesse modelo de trabalho. Até porque, sem chefe para controlar suas demandas, seus horários e sua produtividade, toda a carga de cobrança estará por sua conta.

Além, é claro, do planejamento financeiro de seus projetos. Não se esqueça, você será responsável por todo o processo que antes era segmentado. Então, da prospecção de clientes até à finalização do projeto, todas as etapas dependerão de você.

Dessa forma, saber qual o seu limite de trabalho e quantos projetos pode assumir ao mesmo tempo faz parte da sua organização.

Entender os custos associados ao trabalho para não terminar no prejuízo ou ter que pedir um aumento no valor acordado também são pontos importantes para reforçar uma imagem profissional e competente.

Cuide das suas finanças

O planejamento financeiro deve ser levado em consideração também em sua vida pessoal, pois como se sabe, a renda nessa modalidade de trabalho é variável.

Podendo ter meses que você irá triplicar ou quintuplicar o que ganhava como empregado, mas em outros seu faturamento pode ser bem abaixo.

Assim, ter o devido controle de suas finanças e constituir reservas de emergências são passos imprescindíveis para seu sucesso profissional, pois caso passe alguns meses de escassez de trabalho ainda terá como se manter.

Coloque o profissionalismo como prioridade total

Todo e qualquer trabalho deve ser entendido pelo que de fato é: uma responsabilidade profissional.

Não é porque você está executando suas tarefas de forma mais despojada, muitas vezes em sua própria casa e com uma liberdade maior de horário, que os seus compromissos sejam menos sérios.

Você pode ser o melhor profissional da sua área do ponto de vista técnico, mas uma postura pouco profissional pode te tirar do mercado rapidamente.

Atitudes como não cumprir prazos, não responder o seu cliente e entregar um serviço com menos qualidade do que o combinado (seja por falta de organização ou por desleixo) vão te deixar com uma péssima reputação!

Trabalhe sua multidisciplinaridade

Como já citado no tópico da organização, o profissional freelancer precisa tomar conta de todas as etapas do processo de realização de um projeto. Logo, ele precisa ser bom em:

  • Relacionar com clientes;
  • Entender um pouco de contabilidade e custos;
  • E ser disciplinado para entregar seu trabalho no prazo.

Dessa forma, se deseja ser freelancer, mas sua habilidade interpessoal é ruim, antes de se aventurar como freelancer full-time é importante tentar desenvolver esse seu lado.

Caso contrário, pode terminar sendo um profissional competente sem demanda de trabalho, já que não possui empatia para conquistar clientes.

Ou, ainda, ser ótimo com vendas e com a realização do trabalho, mas ser ruim na gestão dos recursos e acabar comprometendo valores de um projeto em outros.

Mantenha sua motivação elevada

Trabalhar por conta própria exige uma automotivação diária. Claro que como o horário é flexível, você pode dormir até mais tarde uma vez ou outra ou postergar uma tarefa que não deseja fazer no momento.

Porém, é essencial que se mantenha um ritmo mínimo para que o desânimo e a preguiça não se tornem suas companheiras.

O grande perigo é postergar demais as tarefas e acabar fazendo tudo em cima da hora e com uma qualidade ruim, o que fará mal para sua imagem profissional. Muitas pessoas que trabalham em casa:

  • Têm um escritório ou um espaço separado para isso;
  • Fazem cronogramas com horas diárias de trabalho;
  • E se vestem apropriadamente como se estivessem em uma empresa.

Tudo isso justamente para que haja essa quebra entre vida pessoal e profissional.

Cultive seu networking

Para começar a trabalhar por conta própria é importante ter construído uma sólida base de clientes ou ter um bom relacionamento com um número razoável de pessoas que conheçam e possam indicar seu trabalho.

Muitas vezes, é possível trabalhar para a própria empresa da qual saiu como empregado, passando a ser contratado como freelancer.

Capriche no portfólio

É essencial para qualquer profissional freelancer saber “se vender”. No entanto, para aqueles que estão em uma área diferente de sua área de formação, ter um bom portfólio é ainda mais decisivo.

Para comprovar sua capacidade de realizar um bom trabalho, é necessário algo palpável que o cliente possa analisar de forma concreta. Assim, certifique-se de ter um bom portfólio em mãos quando for prospectar ou visitar clientes.

Espero que este artigo tenha ajudado você!

Então deslize a tela para baixo e confira mais dicas como esta e não se esqueça de compartilhar com os amigos!

Quer mais dicas sobre o mundo das Finanças e Decoração, então confira alguns dos nossos artigos em:

Últimos artigos