17.3 C
São Paulo
domingo, junho 23, 2024

Como Resgatar sua Previdência Privada? 

Data:

A previdência privada é um investimento que foi desenhado pensando em objetivos de longo prazo, como a aposentadoria. Mesmo assim, não é raro que seja necessário fazer o resgate de previdência privada antes do tempo previsto.

Nesses casos, é preciso entender como esse resgate funciona e quais são os cuidados que devem ser tomados. É importante também conhecer os custos envolvidos para saber se vale ou não a pena fazê-lo.

Investir em um plano de previdência privada é uma decisão financeira inteligente para garantir um futuro tranquilo. No entanto, chega um momento em que você pode desejar resgatar esse investimento.

Seja para realizar um sonho, enfrentar imprevistos ou usufruir da aposentadoria que planejou, é fundamental entender as condições e os passos envolvidos no resgate da sua previdência privada.

COMO RESGATAR PREVIDÊNCIA PRIVADA? Foto: Canva.com

O que é o resgate da previdência privada?

Quando se contrata um plano de previdência privada, vem especificado em contrato o prazo a partir do qual é possível resgatar os valores aplicados.

Em geral, quem opta por resgatar o dinheiro antes do tempo previsto tem que pagar alguma taxa extra. Essa é uma maneira de incentivar a pessoa a manter o plano e perseguir o objetivo de longo prazo proposto inicialmente.

Mas quando chega o momento de fazer o resgate, é possível fazer três escolhas:

  • resgatar o valor investido (total, parcial ou até um resgate mensal);
  • receber uma renda mensal por um determinado período ou até que o assistido morra, o que ocorrer primeiro;
  • receber uma renda vitalícia.

É complicado para o plano se comprometer a pagar algo que ele não sabe quanto tempo vai durar. Por isso, não é mais muito comum encontrar planos que ofereçam renda mensal vitalícia.

Ao optar pela renda mensal por um período determinado, quando o titular morre, o saldo pode ir para os beneficiários ou reverter para o próprio fundo. Isso vai depender das condições especificadas em contrato.

Já no caso da renda mensal vitalícia, o saldo sempre fica para o fundo.

Vale a pena resgatar antes do prazo?

Como dissemos no começo deste artigo, a previdência privada foi desenhada para estimular investimentos de longo prazo. Isso significa que quem resgatar o dinheiro antes do tempo pode ter que arcar com taxas extras, de acordo com o plano.

Além disso, terá que pagar os impostos no momento do resgate (falaremos disso com mais detalhes no próximo tópico). Então, dependendo das escolhas que você tenha feito, a mordida do Leão pode ser dolorida.

Mas será que existem situações em que faz sentido tomar essa decisão e resgatar a previdência privada antes do prazo? Sim, existem! Situações como desemprego podem deixar a pessoa descapitalizada e precisando daqueles recursos para o dia a dia.

COMO RESGATAR PREVIDÊNCIA PRIVADA? Foto: Canva.com

Resgate x portabilidade

Um dos grandes diferenciais da previdência privada para outros investimentos é a possibilidade de transferir sem custos o valor investido para outra instituição. O nome deste movimento é portabilidade.

Ele é uma excelente opção quando outra instituição pode potencializar a sua rentabilidade de forma consistente e segurança. Ou quando as taxas praticadas (administração, carregamento) são altas e poderiam ser reduzidas com essa troca.

A portabilidade é feita de forma rápida pela nova instituição que você deseja levar sua previdência. E é totalmente gratuita. No entanto, vale a pena lembrar que a portabilidade dos planos de previdência entre instituições só é permitida se for da mesma modalidade.

Ou seja, se você tem um PGBL em uma instituição pode fazer a portabilidade para um PGBL de outra instituição, mas não para um VGBL.

Por isso, se você considera resgatar seu plano de previdência privada porque não acha que ele está rendendo de forma adequada para você, considere fazer uma portabilidade antes.

Questões a serem analisadas no resgate

1. Conheça o Tipo de Plano:

Antes de tudo, é crucial entender qual tipo de previdência privada você possui: PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) ou VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre). Os dois têm regras distintas de tributação, o que pode impactar a forma como você resgata o valor acumulado.

2. Verifique o Prazo de Carência:

A maioria dos planos de previdência privada possui um prazo de carência, o período mínimo durante o qual você não pode resgatar o valor investido sem pagar uma taxa. Esse prazo varia de acordo com o contrato, então é importante conferir essa informação antes de iniciar o processo de resgate.

COMO RESGATAR PREVIDÊNCIA PRIVADA? Foto: Canva.com

3. Esteja Ciente das Implicações Fiscais:

Os planos PGBL e VGBL têm diferentes tratamentos fiscais. Enquanto no PGBL você pode deduzir as contribuições da base de cálculo do Imposto de Renda até certos limites, no VGBL essa dedução não é possível.

Além disso, no momento do resgate, os valores acumulados são tributados de maneira distinta. Compreender essas implicações é essencial para tomar decisões informadas.

4. Escolha o Tipo de Resgate:

Existem duas formas principais de resgate: o resgate programado e o resgate total. O resgate programado permite que você saque uma quantia mensal por um período determinado, sem liquidar o plano por completo.

Já o resgate total envolve o encerramento do plano e o saque do valor acumulado. Avalie qual modalidade atende melhor às suas necessidades.

5. Consulte a Instituição Financeira:

Cada instituição financeira pode ter suas próprias regras e procedimentos para o resgate de previdência privada. Entre em contato com a empresa responsável pelo seu plano para obter informações detalhadas sobre como proceder com o resgate. Eles podem fornecer orientações específicas e os documentos necessários.

Conclusão

O resgate da previdência privada é uma etapa importante em sua jornada financeira, e entender as condições é crucial para evitar surpresas desagradáveis e maximizar os benefícios.

Esteja ciente do tipo de plano que você possui, verifique os prazos de carência, entenda as implicações fiscais, escolha o tipo de resgate que se alinha com seus objetivos e consulte a instituição financeira para garantir um processo tranquilo e bem-sucedido.

Lembrando sempre de considerar seu planejamento financeiro geral antes de tomar qualquer decisão.

 

Últimos artigos